Post Image
nov 05, 2018

ETPC comemora o dia de Halloween


Alunos do Curso Técnico de Apoio Psicossocial promovem diversas atividades no âmbito do “Halloween”.

A turma de 11º ano do Curso de Apoio Psicossocial da Escola Técnico Profissional de Cantanhede (ETPC), no âmbito das Comemorações do Halloween, envolveu a comunidade educativa, no dia 31 de outubro, num conjunto diversificado de atividades alusivas à temática, nomeadamente a participação no concurso de abóboras “Abo’hallo”, no desfile de Halloween e na sala do terror. 

De forma a tornar o ambiente propício à comemoração deste dia, os alunos do Curso Técnico de Apoio Psicossocial ornamentaram também a escola com os motivos próprios desta festividade.

Esta época de magia e misticismo que fascina várias faixas etárias tem a sua origem no povo celta há mais de três mil anos, em que consta que, na sua origem pagã, entre os dias 30 de outubro e 02 de novembro, marcava o fim do verão na Irlanda. Durante esses dias, o povo Celta fazia a celebração desse fim de verão. Essa celebração era chamada de Festival de Samhain e o objetivo era prestar culto aos mortos. Para os Celtas, o lugar dos mortos não tinha sofrimento, nem dor, nem fome, era antes, um lugar de paz e felicidade.

Hoje o Halloween continua como uma celebração popular de culto aos mortos, também conhecido como o dia das bruxas, comemorado de uma forma completamente diferente da original.

O Halloween é, assim, uma data comemorativa multicultural que oferece  um vasto leque de possibilidades  interessantes para trabalhar na escola, suavizando as questões simbólicas e representativas a partir do lúdico. Foi neste sentido que as docentes Ana Fontes, de expressão dramática, e Catarina Soares de comunidade e intervenção social, decidiram aliar os conteúdos dos seus módulos à comemoração deste dia, levando os alunos a desenvolver competências na área do trabalho de projeto, nas suas diversas fases desde o diagnóstico de necessidades, à planificação, execução e avaliação e na área das expressões.Esta foi uma forma de os alunos aplicarem os conhecimentos teóricos abordados num projeto concreto dando especial ênfase ao aspeto lúdico-educativo e àquilo que são aprendizagens basilares para a formação de um Técnico de Apoio Psicossocial.

Ao longo do mês de outubro os alunos trabalharam intensamente nas disciplinas referidas, planificando as atividades e criando condições para a sua implementação na comunidade escolar, através da realização de regulamentos de participação, da divulgação pelas diferentes turmas, da recolha dos materiais necessários à implementação do projeto, da construção de cenários e personagens, adereços, figurinos, elementos decorativos, entre outros.

No dia 31 de outubro consumava-se, então, o projeto. O curso profissional de apoio psicossocial proporcionou aos colegas uma entrada diferente na escola, apelando ao misticismo e ao imaginário dos colegas com toda a decoração dos espaços alusivos ao Halloween.

No hall de entrada da escola encontrava-se também a exposição de abóboras criadas no âmbito do concurso “Abo’hallo” que contou com a participação empenhada de professores e alunos de quase todas as turmas da escola, sagrando-se vencedora a turma do 12º ano do Curso Técnico de Cozinha e Pastelaria, havendo ainda uma menção honrosa para o 12ºano do Curso de Apoio Psicossocial pela utilização de materiais de desperdício.

A sala do terror contou com a participação da grande maioria dos alunos da escola e visava envolver os alunos num percurso no qual experienciariam diferentes sensações, num ambiente escuro, criadas pelas personagens que as alunas criaram e pela organização do espaço em si. No interior da sala do terror habitavam personagens de outros mundos, tais como a boneca de corda, a morte, o homem da motosserra, a criança morta ou Samara, entre outros seres macabros. As visitas foram sendo feitas por pequenos grupos de alunos, que atravessavam o recinto da casa, num verdadeiro estado de suspense e de sons arrepiantes.

Durante a tarde ocorreu o “Desfile de Halloween”. Este teve início com um esconjuro, levado a cabo por quatro bruxas, baseado no que o Padre Fontes costuma fazer nas sextas-feiras treze em Montalegre e continuou com o desfile dos vários alunos inscritos, que pensaram e criaram as suas vestes e caraterização. Este desfile foi avaliado por um júri, que no final apresentou o seu veredito, elegendo os 3 melhores caracterizados.

Para abrilhantar o desfile, as alunas do 10º ano do Curso Técnico de Apoio Psicossocial prepararam uma coreografia para apresentarem aos presentes. Após esta apresentação foi efetuada a entrega de prémios e seguidamente um lanche convívio para a comunidade escolar, para o qual a turma organizadora contou com a imprescindível colaboração do CEF de Cozinha e da professora Ana Vitorino.

Por fim, concluímos que a experiência foi muito enriquecedora, pois os alunos tomaram consciência de que trabalhar num sistema de interdisciplinaridade pode ser realmente uma mais valia em termos de aprendizagem. Os alunos sentiram-se orgulhosos com o trabalho realizado e com os resultados obtidos junto da comunidade escolar, em especial dos colegas que nos questionários de avaliação aplicados no final da atividade, referiram aspetos como “boa decoração e de acordo com o sentido da festa”; “Achamos que foi incrível, deu vida à escola, amazing podem continuar; “Criatividade 5 estrelas” e “ …cooperação e divertimento aos alunos excelente também”.

O balanço desta atividade é francamente positivo e a experiência enriquecedora e motivadora para a persecução dos objetivos profissionais dos alunos, no sentido em que os envolve ativamente na promoção das suas próprias aprendizagens e no trabalho de, para e com a comunidade escolar.